Estudando para Concursos

[QUESTÕES] Direito Civil – Parte Geral 3 (negocio Jurídico)

Posted on: novembro 16, 2012

DOS FATOS JURÍDICOS  – ARTS. 104 AO 232

NEGÓCIO JURÍDICO

1. Num negócio jurídico, houve erro de cálculo do valor das prestações mensais do preço estabelecido para a transação. Nesse caso, o erro de cálculo

a) implica a inexistência do negócio jurídico.
b) apenas autoriza a retificação da declaração de vontade.
c) acarreta a nulidade do negócio jurídico.
d) possibilita a anulação do negócio jurídico.
e) só possibilita a anulação do negócio jurídico se o seu objeto for bem imóvel.

_________________________________________

2.  A respeito dos defeitos dos negócios jurídicos, é correto afirmar:

a) Se ambas as partes procederem com dolo, qualquer delas poderá alegá-lo para anular o negócio, ou reclamar indenização.
b) O falso motivo só vicia a declaração de vontade quando expresso como razão determinante.
c) Considera-se coação a ameaça do exercício normal de um direito, bem como o simples temor reverencial.
d) Não se presumem fraudatórias dos direitos dos outros credores as garantias de dívidas que o devedor insolvente tiver dado a algum credor.
e) Se uma pessoa, por inexperiência, se obriga a prestação manifestamente desproporcional ao valor da prestação oposta, o negócio será anulado inclusive se a parte favorecida concordar com a redução do proveito.

__________________________________

3.  NÃO é nulo o ato jurídico

a) simulado.
b) praticado sem observância da forma legal.
c) praticado por absolutamente incapaz.
d) praticado com reserva mental, desconhecida da outra parte.
e) sujeito à condição suspensiva impossível.

_____________________________________________

4. A condição

a) maliciosamente levada a efeito por aquele a quem aproveita o seu implemento considera-se não verificada. (verdadeira)
b) resolutiva, enquanto não se realizar,
 impede a eficácia do negócio jurídico, não podendo ser exercido, desde a conclusão deste, o direito por ele estabelecido.
c) que sujeitar o efeito do negócio jurídico ao puro arbítrio de uma das partes, em geral, 
é válida, em decorrência do princípio da liberdade de contratar.
d) cujo implemento for maliciosamente obstado pela parte a quem 
favorecer não se reputa verificada quanto aos efeitos jurídicos.
e) suspensiva 
impede que o titular do direito eventual pratique atos destinados a conservá-lo.

_________________________________________________

GABARITO – NEGOCIO JURÍDICO

1 – B

2 – B

3 – D

4 – A

____________________________________________________________________

1 – Q126674 ( Prova: FCC – 2009 – TCE-GO – Analista de Controle Externo – Direito / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
José recebeu quantias em dinheiro de Paulo, Pedro e Antonio, que assinaram escrituras de doação em seu favor, com fundado temor de dano imediato decorrente de ameaças por este formuladas. José ameaçou Paulo de agressão física; intimidou Pedro, ameaçando agredir seu neto; e disse a Antonio que, se não o fizesse, atearia fogo em sua fazenda. Nesse caso, pode(m) ser anulada(s) por coação a(s) doação(ões) feita(s) por
a) Pedro e Antonio, apenas.
b) Paulo, apenas.
c) Paulo e Pedro, apenas.
d) Paulo e Antonio, apenas.
e) Paulo, Pedro e Antonio.
2 – Q87781 ( Prova: FCC – 2011 – TJ-PE – Juiz / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Consideram-se: I. válido; II. ineficaz; III. anulável; IV. nulo, os seguintes negócios jurídicos, respectivamente:
a) I. a alienação fiduciária de imóvel no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) por instrumento público; II. o pacto antenupcial celebrado por instrumento particular se o casamento se lhe seguir; III. o contrato que tenha por objeto herança de pessoa viva; IV. o negócio jurídico celebrado em estado de perigo.
b) I. pacto antenupcial celebrado por instrumento particular se os nubentes não possuirem imóveis antes do casamento; II. o contrato que tenha por objeto herança de pessoa viva; III. o negócio jurídico realizado em estado de perigo; IV. a alienação fiduciária de imóvel no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) por instrumento particular.
c) I. o contrato que tenha por objeto herança de pessoa viva, se esta consentir; II. o pacto antenupcial celebrado por instrumento público, se não lhe seguir o casamento; III. o negócio jurídico realizado em estado de perigo; IV. a alienação fiduciária de imovél no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), por instrumento particular.
d) I. a alienação fiduciária de imóvel no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) por instrumento particular ; II. o pacto antenupcial celebrado por instrumento público, se não lhe seguir o casamento; III. o negócio jurídico realizado em estado de perigo; IV. o contrato que tenha por objeto herança de pessoa viva.
e) I. a alienação fiduciária de imóvel no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) por instrumento público ; II. o pacto antenupcial celebrado por instrumento particular se o casamento se lhe seguir; III. o contrato que tenha por objeto herança de pessoa viva; IV. o negócio jurídico celebrado em estado de perigo.
3 – Q86031 ( Prova: FCC – 2011 – DPE-RS – Defensor Público / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; Fatos Jurídicos – Prescrição e Decadência; )
Atenção:

Para responder às questões 41 a 47 assinale a alternativa
que contém a afirmação correta em relação
ao assunto indicado.

Incidência dos Institutos da prescrição e da decadência na teoria das invalidades do negócio jurídico.
a) Segundo o Código Civil, as nulidades, por ofenderem interesse público, podem ser arguidas pelas partes, sendo vedado ao juiz conhecê-las de ofício em processo que verse sobre a validade de determinado negócio jurídico.
b) O negócio jurídico nulo não convalece pelo decurso do tempo, razão pela qual apenas as anulabilidades estão sujeitas a prazos prescricionais.
c) A invalidade do instrumento contratual induz necessariamente a invalidade do negócio jurídico.
d) A decretação judicial é necessária para o reconhecimento de nulidades e anulabilidades, pois estas espécies de vícios não têm efeito antes de julgados por sentença.
e) Respeitada a intenção das partes, é cabível a manutenção do negócio jurídico no caso de reconhecimento de invalidade parcial, a qual não o prejudicará na parte válida se desta for separável.
4 – Q84506 ( Prova: FCC – 2007 – TRF – 1ª REGIÃO – Técnico Judiciário – Área Administrativa / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Considere as seguintes assertivas a respeito da condição, do termo e do encargo dos negócios jurídicos:

I. Em regra, o termo inicial suspende o exercício, bem como a aquisição do direito, havendo disposição legal neste sentido.

II. Subordinando-se a eficácia do negócio jurídico à condição suspensiva, enquanto esta não se verificar, não se terá adquirido o direito a que ele visa.

III. Considera-se condição a cláusula que, derivando exclusivamente da vontade das partes, subordina o efeito do negócio jurídico a evento futuro e incerto.

IV. O encargo suspende a aquisição e o exercício do direito, salvo quando expressamente imposto no negócio jurídico, pelo disponente, como condição suspensiva.

Estão corretas SOMENTE
a) I e II.
b) II e III.
c) I e III.
d) I, II e IV.
e) II, III e IV.
5 – Q81901 ( Prova: FCC – 2010 – PGM-TERESINA-PI – Procurador Municipal – Prova tipo 3 / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; Fatos Jurídicos – Da Prova; )
Para a prova dos negócios jurídicos
a) a prova testemunhal, subsidiária ou complementar da prova escrita, só é admissível até valor equivalente ao décuplo do maior salário mínimo vigente ao tempo em que celebrado o negócio jurídico.
b) é preciso, como regra, forma especial.
c) a escritura pública, lavrada em notas de tabelião, é documento dotado de fé pública e faz prova plena de seu conteúdo.
d) o instrumento particular, celebrado por parte maior e capaz, prova as obrigações convencionais apenas até valor equivalente a sessenta salários mínimos.
e) não podem ser admitidos como testemunhas os menores de dezoito anos.
6 – Q81897 ( Prova: FCC – 2010 – PGM-TERESINA-PI – Procurador Municipal – Prova tipo 3 / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Em relação à eficácia dos negócios jurídicos, é INCORRETO afirmar:
a) O termo inicial suspende a aquisição, mas não o exercício do direito.
b) Se for resolutiva a condição, enquanto esta não se realizar, vigorará o negócio jurídico, desde sua conclusão podendo exercer-se o direito por ele estabelecido.
c) Têm-se por inexistentes as condições impossíveis, quando resolutivas, e as de não fazer coisa impossível.
d) Em geral, são lícitas todas as condições não contrárias à lei, à ordem pública ou aos bons costumes.
e) Nos casos de condição suspensiva ou resolutiva, ao titular do direito eventual é permitido praticar os atos destinados a conservá-lo.

_______________________________

GABARITOS NEGOCIO JURÍDICO 2:

1 – E

2 – D

3 – E

4 – B

5 – C

6 – A

________________________________________________________________

1 – Q197556 ( Prova: FCC – 2007 – Prefeitura de São Paulo – SP – Auditor Fiscal do Município – Prova 1 / Direito Civil / Direito das Obrigações – Contratos ; Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Desejando guardar móveis e eletrodomésticos inservíveis, Cláudio contrata a empresa denominada “Armazéns Gerais Ltda.”, pelo prazo certo de 12 (doze) meses. Passado esse período, resolve retirar os bens, mas foi impedido de fazê-lo pela empresa porque não havia pago a retribuição devida, relativa aos últimos dois meses. Além disso, um dos bens armazenados continha substâncias tóxicas que vazaram e contaminaram bens de outros proprietários, que foram indenizados pela empresa depositária. Nesse caso, a retenção dos bens de Cláudio é providência
a) lícita, para garantia do pagamento da retribuição e para o ressarcimento dos danos causados.
b) lícita apenas para garantia do pagamento da retribuição, mas não para o ressarcimento dos danos causados.
c) lícita apenas para o ressarcimento dos danos causados, mas não para o pagamento da retribuição.
d) ilícita, tendo Cláudio direito à restituição dos bens por suas próprias forças.
e) ilícita, tendo Cláudio direito à indenização correspondente ao valor dos bens depositados.
2 – Q161403 ( Prova: FCC – 2008 – TCE-AL – Procurador / Direito Civil / Direito das Obrigações – Contratos ; Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Os negócios jurídicos entre vivos sem prazo
a) equiparam-se aos negócios jurídicos sob condição suspensiva, porque sua eficácia sempre ficará na dependência de evento futuro e incerto.
b) são exigíveis desde logo, e a constituição em mora independe de interpelação judicial ou extrajudicial, exceto se a execução tiver de ser feita em lugar diverso ou depender de tempo.
c) devem ser executados dentro de trinta (30) dias da celebração do ajuste, sob pena de o devedor incidir em mora.
d) são ineficazes, porque o prazo é da essência dos negócios jurídicos, salvo se, expressamente, a obrigação tiver sido assumida para execução imediata.
e) são exigíveis desde logo, exceto se a execução tiver de ser feita em lugar diverso ou depender de tempo, mas a mora se constitui mediante interpelação judicial ou extrajudicial.
3 – Q161405 ( Prova: FCC – 2008 – TCE-AL – Procurador / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Quando a lei proíbe a prática de um negócio jurídico, sem lhe cominar sanção, ele será
a) inexistente.
b) ineficaz.
c) nulo.
d) anulável.
e) válido.
4 – Q111831 ( Prova: FCC – 2011 – TRT – 23ª REGIÃO (MT) – Analista Judiciário – Execução de Mandados / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Num negócio jurídico, a parte a quem aproveitaria o seu implemento, forçou maliciosamente a ocorrência de condição. Nesse caso,

a) reputa-se verificada a condição.
b) considera-se não implementada a condição.
c) o negócio jurídico é nulo para todos os efeitos legais.
d) o negócio jurídico é anulável.
e) a verificação da condição será retardada em 90 dias.
5 – Q111832 ( Prova: FCC – 2011 – TRT – 23ª REGIÃO (MT) – Analista Judiciário – Execução de Mandados / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Apesar de ser notória a sua insolvência, Paulo vendeu um terreno a Pedro por valor inferior ao preço de mercado. Nesse caso,

a) se Pedro ainda não tiver pago o preço, para conservar o bem, poderá depositar em juízo o valor que pagou pelo terreno, com a citação de todos os interessados.
b) o negócio será nulo de pleno direito, independentemente do pagamento do preço pelo comprador.
c) o negócio será nulo de pleno direito, se o pagamento do preço pelo comprador ainda não tiver sido feito.
d) se Pedro ainda não tiver pago o preço, para conservar o bem, poderá depositar em juízo o valor real do terreno, com a citação de todos os interessados.
e) a transação não será anulável, respondendo Paulo pelas perdas e danos causadas aos credores.
6 – Q59678 ( Prova: FCC – 2009 – TJ-MS – Juiz / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Sobre os defeitos do negócio jurídico, é INCORRETO afirmar que
a) podem anular o negócio jurídico fraudulento os credores cuja garantia se tornou insuficiente.
b) só o erro substancial anula o negócio jurídico.
c) o dolo acidental anula o negócio jurídico.
d) o erro de indicação da pessoa ou coisa, a que se refere a declaração de vontade, não viciará o negócio quando se puder identificar a coisa ou a pessoa cogitada.
e) vicia o negócio jurídico a coação exercida por terceiro.
7 – Q55912 ( Prova: FCC – 2010 – TJ-PI – Assessor Jurídico / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Determinado negócio jurídico foi celebrado com a presença de dolo acidental de uma das partes. De acordo com o Código Civil brasileiro, o dolo acidental
a) anula o negócio jurídico e obriga a satisfação das perdas e danos.
b) só anula o negócio jurídico.
c) só obriga à satisfação das perdas e danos.
d) não anula o negócio jurídico e nem obriga a satisfação das perdas e danos.
e) torna o negócio jurídico anulável.
8 – Q46501 ( Prova: FCC – 2006 – PGE-RR – Procurador de Estado / Direito Civil / Das Pessoas; Fatos Jurídicos; Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; Fatos Jurídicos – Ato jurídico lícito e ato ilícito ; )
Haverá nulidade absoluta,

a) se houver lesão contratual e relativa, se a parte celebrar negócio jurídico mediante coação.
b) se o negócio jurídico for celebrado por pessoa absolutamente incapaz e relativa, se tiver por objetivo fraudar lei imperativa.
c) se a parte incidir em erro substancial de direito e relativa, se praticado por pessoa relativamente incapaz.
d) se o negócio jurídico for simulado e relativa, se for celebrado em estado de perigo.
e) no caso de dolo, se o seu autor for a outra parte e relativa, se o seu autor for terceiro.
9 – Q41026 ( Prova: FCC – 2009 – SEFAZ-SP – Agente Fiscal de Rendas – Prova 2 / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
O servidor público X recebeu dinheiro para expedir certidão solicitada por Y, de conteúdo falso, todavia, não a elaborou conforme solicitado, fazendo dela constar apenas os fatos verdadeiros. Y, sentindo-se prejudicado, moveu ação de repetição contra X, requerendo, também, acréscimo de juros, desde o pagamento indevido. Neste caso, Y

a) terá direito à devolução somente da metade do que pagou, porque houve ilícito de ambas as partes.
b) não terá direito à repetição, mas o que pagou reverterá em favor de estabelecimento de beneficência, existente na localidade, a critério do Juiz.
c) não terá direito à repetição, podendo X reter o que recebeu, a título de liberalidade de Y.
d) só terá direito à repetição se provar que X era incompetente para expedir a certidão, o que configura erro de Y.
e) terá direito à repetição, mas não aos juros.

_______________________________________________
GABARITOS:

1 – A

2 – E

3 – C

4 – B

5 – D

6 – C

7 – C

8 – D

9 – B

________________________________________________

1 – Q100156 ( Prova: CESPE – 2008 – SEMAD-ARACAJU – Procurador Municipal / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Acerca dos vícios do negócio jurídico, julgue os próximos itens.

Se um devedor aliena ou onera o seu patrimônio em reconhecida fraude contra credores, esse ato é ineficaz em face dos credores, permanecendo os bens fraudulentamente alienados objeto da obrigação assumida pelo devedor.

( ) Certo ( ) Errado
2 – Q101724 ( Prova: CESPE – 2005 – TRT-16R – Analista Judiciário – Área Judiciária / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Juvenal, com 17 anos de idade, assinou um contrato com
Petrônio, em que se declarou maior de idade. Petrônio não tinha
conhecimento da verdadeira idade de Juvenal, que não é emancipado
e não foi assistido no ato, que exige a capacidade civil plena.

Com relação à situação hipotética apresentada, julgue os itens que se
sucedem.

Como Juvenal possui 17 anos de idade e não foi assistido na prática do ato, o negócio jurídico é anulável.

( ) Certo ( ) Errado
3 – Q92385 ( Prova: CESPE – 2010 – TRT – 21ª Região (RN) – Analista Judiciário – Área Administrativa / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
A respeito das pessoas, do domicílio e dos negócios jurídicos,
julgue os seguintes itens.

Será nulo o negócio jurídico celebrado por pessoa que, embora não seja considerada ébria habitual, se encontre embriagada no momento da prática do ato.

( ) Certo ( ) Errado
4 – Q83738 ( Prova: CESPE – 2010 – DPE-BA – Defensor Público / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Julgue o próximo item, a respeito dos defeitos e da nulidade dos negócios jurídicos.
Tanto nos casos de declaração de nulidade quanto nos de decretação de anulação do negócio jurídico, ocorre o retorno das partes à situação anterior.

( ) Certo ( ) Errado
5 – Q83013 ( Prova: CESPE – 2010 – TCE-BA – Procurador / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
As relações jurídicas são relações sociais em que os direitos
subjetivos e os deveres jurídicos são identificados e, por
envolverem interesses particulares, exigem do Estado
regulamentação. Julgue os itens subsequentes, que tratam das
relações jurídicas estabelecidas entre particulares.
Encargo e condição são institutos que não se confundem, pois o primeiro não suspende a aquisição ou o exercício do direito, ao contrário do segundo.
( ) Certo ( ) Errado
6 – Q27962 ( Prova: CESPE – 2004 – Instituto Rio Branco – Diplomata / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Fritz, casado com Helga, é, há cinco anos, cônsul da República da Gemênia no Brasil. Ambos são gemênicos, ou seja, têm a nacionalidade daquele país e têm um filho de quatro anos, chamado Hans, nascido em território brasileiro. Para cuidar do filho Hans, o casal contratou, em julho de 2003, uma empregada, chamada Helen, que passou a fazer o trabalho de babá na residência do cônsul. Helen, atualmente com 17 anos de idade, nascida na Gemênia, casada no Brasil, é filha de pais brasileiros , sendo que nenhum deles esteve naquele país a serviço da República Federativa do Brasil. Em fevereiro de 2004, Helen vendeu a Helga um relógio alegando ser de ouro legítimo. Posteriormente, Helga descobriu que o relógio era falsificado e não era, sequer, de ouro de baixa qualidade. Helen, ao efetuar a venda, tinha pleno conhecimento de que o relógio era falso. Foi, então, demitida do seu emprego no consulado, sem receber seus direitos trabalhistas.

Ante a situação hipotética descrita acima e considerando que a República da Gemênia não seja um país de língua portuguesa e adota o jus sanguinis como critério de atribuição da nacionalidade originária, julgue os itens a seguir.
Presentes o elemento objetivo e o elemento subjetivo, caracterizadores do vício do consentimento, o negócio jurídico configurado pela compra e venda do relógio é anulável em decorrência de dolo negativo, reticente ou por omissão, cabendo a Helen responder pelas perdas e danos que advierem do negócio.

( ) Certo ( ) Errado
7 – Q19502 ( Prova: CESPE – 2009 – TRT – 17ª Região (ES) – Analista Judiciário – Área Judiciária – Execução de Mandados / Direito Civil / Fatos Jurídicos; Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; Fatos Jurídicos – Ato jurídico lícito e ato ilícito ; )
Julgue os itens que se seguem, a respeito do negócio
jurídico, dos atos jurídicos lícitos e dos atos ilícitos.

O agente capaz que contratar com pessoa relativamente incapaz estará autorizado a invocar em seu favor a incapacidade relativa desta, desde que indivisível a prestação objeto do direito ou da obrigação comum.

( ) Certo ( ) Errado
8 – Q19432 ( Prova: CESPE – 2009 – TRT – 17ª Região (ES) – Analista Judiciário – Área Administrativa / Direito Civil / Das Pessoas; Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; Das Pessoas – Pessoa Natural; )
A respeito do negócio jurídico, dos atos jurídicos lícitos, dos atos
ilícitos, da prescrição e decadência, julgue os seguintes itens.

O agente capaz que contratar com pessoa absolutamente incapaz estará autorizado a invocar em seu favor a incapacidade desta, ainda que divisível a prestação objeto do direito ou da obrigação comum.

( ) Certo ( ) Errado
9 – Q17224 ( Prova: CESPE – 2009 – DPE-ES – Defensor Público / Direito Civil / Fatos Jurídicos – Negócio Jurídico; )
Acerca dos atos e fatos jurídicos no direito civil, julgue os itens
a seguir.

Será nulo o negócio jurídico se o motivo determinante de uma das partes for ilícito.

( ) Certo ( ) Errado

________________________________________

GABARITOS:

1 – E

2 – E

3 – C

4 – C

5 – E

6 – E

7 – C

8 – C

9 – E

_______________________________________________________________________________________

  • OBSERVAÇÕES:

Trata-se do instituto do erro.
Art. 138. São anuláveis os negócios jurídicos, quando as declarações de vontade emanarem de erro substancial que poderia ser percebido por pessoa de diligência normal, em face das circunstâncias do negócio.

Trata-se do instituto do estado de perigo.
Art. 156. Configura-se o estado de perigo quando alguém, premido da necessidade de salvar-se, ou a pessoa de sua família, de grave dano conhecido pela outra parte, assume obrigação excessivamente onerosa.

Trata-se do instituto da fraude contra credores.
Art. 158. Os negócios de transmissão gratuita de bens ou remissão de dívida, se os praticar o devedor já insolvente, ou por eles reduzido à insolvência, ainda quando o ignore, poderão ser anulados pelos credores quirografários, como lesivos dos seus direitos.

Trata-se do instituto da LESÃO.
Art. 157. Ocorre a lesão quando uma pessoa, sob premente necessidade, ou por inexperiência, se obriga a prestação manifestamente desproporcional ao valor da prestação oposta.

_______

Condição: suspende tanto a aquisição, como o exercício.

Termo: suspende apenas o exercício.

Encargo: não suspende nem a aquisição, nem o exercício do direito.

 

__________________________________________________________________

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Futura Juíza

Futura Juíza

estudando para concursos da área Jurídica!

Visualizar Perfil Completo →

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 28 outros seguidores

Arquivos

novembro 2012
S T Q Q S S D
« set   dez »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

café, café, café

Atualizações Twitter

estudar para depois ler muitos livros de literatura!

Blog do Madeira

Cultura pop, jurídica e bom humor

Blog do Charlie

☻☻☻Humor Policial☺☺☺

InfoEmConcursos

Dicas, artigos e questões de informática para concursos

Blog do Eric Savanda

Blog destinado ao estudo, compilação e análise de Pegadinhas de concursos públicos

Lidia Fraga - Eventos

Cases e conteúdo sobre o mercado de eventos.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 28 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: